segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

"(...)Me dá raiva quando penso no que não vai acontecer. Me dá raiva pensar nas flores e nos dias de sol. Nos teus beijos, e em tudo que eu tinha sonhado pra nós. Os teus olhos, e mãos, e teu abraço protetor; é o que vai me faltar. Me dá raiva não saber o que fazer deste amor.

Mas o que me dá mais raiva nisso tudo, é quando meu coração dispara ao te ver. É quando me derreto com com tuas maõs tocando minha nuca. É quando acredito nas tuas palavras vigaristas, é quando te ligo de volta quando você desliga. Me dá raiva sentir saudade depois de cada despedida, saber que não vou te esquecer. Me dá raiva desse meu amor eloquente, sem razão, sem fronteiras. Raiva de saber que acabou. E me dá raiva, não ter raiva de ti, nem só por um segundo, nem só por ter raiva."

Nenhum comentário:

Postar um comentário